Pré-natal


O que é o pré-natal. Uma introdução simples e importante.


Definição

florzinha

Basicamente, o pré-natal é o cuidado com a saúde que a mulher recebe enquanto estiver grávida.

Cuide de você e do seu bebê começando seu pré-natal tão logo você descubra que está grávida. Agende sua consulta assim que possível, no serviço de saúde que você está acostumada (com seu/sua ginecologista, clínico ou médico de família mais próximo da sua casa). O médico vai solicitar diversos exames e é muito importante que você siga todas as orientações. Não perca nada, tudo é muito importante!

Por que eu preciso fazer o pré-natal?


O pré-natal ajuda você e seu bebê a se manterem saudáveis. Bebês de mães que não fazem acompanhamento pré-natal têm três vezes mais chance de ter baixo peso ao nascer e têm cinco vezes mais chances de morrer do que os bebês das mães que fazem o acompanhamento.

O médico consegue diagnosticar problemas de saúde precocemente se ele vê a mãe regularmente. Isso permite o tratamento também precoce, aumentando as chances de cura e prevenindo outras doenças. Ele também consegue conversar com a mãe sobre coisas que ela pode fazer para dar a seu filho um início de vida saudável.

É importante se cuidar antes mesmo de engravidar


Você deveria começar a se cuidar antes de engravidar, pois assim é possível conhecer condições de saúde e fatores de risco que poderiam acometer você e seu bebê se você ficar grávida. Por exemplo, algumas comidas, hábitos e medicamentos podem prejudicar o seu bebê, mesmo antes da concepção.

Converse com seu médico para saber o que você pode fazer para preparar o seu corpo. as mulheres deveriam começar a se preparar para a gravidez logo que começa a ter uma vida sexual ativa. Idealmente, a mulher deveria se dar pelo menos 3 meses para se preparar antes de engravidar.

As 5 coisas mais importantes que você deveria fazer antes de engravidar

  • Tomar de 400 a 800 microgramas de ácido fólico todos os dias por pelo menos 3 meses antes de engravidar, para diminuir os riscos de defeitos no cérebro e na coluna vertebral. O acompanhamento médico é muito importante, pois pode ser necessário o ajuste da dose nos casos de obesidade, por exemplo.
  • Pare de beber e fumar. Peça ajuda a seu médico.
  • Tenha certeza que algum problema de saúde que você tenha esteja sob controle, como por exemplo, asma, diabetes, depressão, hipertensão arterial (pressão alta), obesidade, problemas de tireóide ou epilepsia.
  • Converse com seu médico sobre todos os medicamentos, prescritos e não-prescritos, que você esteja usando. Isso inclui suplementos dietéticos e naturais também. Relate a seu médico o uso de qualquer remédio mesmo antes de interromper o uso, pois parar o uso de medicamentos que você precisa também pode ser prejudicial.
  • Evite contato com substâncias em casa e no trabalho que possam ser prejudiciais. Fique longe de substâncias químicas e fezes de gatos e roedores. Siga essas dicas para cuidar de você e da vida preciosa que está crescendo aí dentro!

 

Mulher grávida com  blusa vermelha

 

Siga essas dicas para cuidar de você e da vida preciosa que está crescendo aí dentro!

  • Comece seu pré-natal assim que descobrir que está grávida e siga todas as orientações. Sendo esta a primeira ou a terceira gestação, o cuidado com a saúde é muito importante. O médico vai checar se você e seu bebê estão saudáveis em todas as consultas. Frente a qualquer problema, uma ação precocemente ajudará você e seu bebê.
  • Tome as vitaminas de gestante que contenham de 400 a 800 mcg de ácido fólico, todos os dias, mas dê preferência para aquelas indicadas pelo seu médico. O ácido fólico é mais importante nos estágios iniciais da gravidez mas deveria ser tomado durante todo o curso da gestação.
  • Pergunte a seu médico antes de interromper o uso de qualquer medicação ou iniciar alguma outra, pois alguns medicamentos não são seguros na gravidez.
  • Evite exames de raio-x. Se você fizer uma visita ao dentista ou a alguma especialidade médica, avise o profissional de sua gravidez, para que ele possa tomar os cuidados necessários.
  • Tome a vacina da gripe, pois gripe na gestação pode deixar a mãe extremamente doente e pode ser necessário hospitalização.
  • Alimente-se de forma saudável. Escolha frutas, legumes, grãos integrais, alimentos ricos em cálcio e com baixo teor de gordura saturada. Também beba bastante água.
  • Coma alimentos ricos em ferro para prevenir anemia, pois ela é ligada a parto prematuro e baixo peso ao nascer. Comer grande variedade de comidas saudáveis ajudará seu bebê a receber os nutrientes de que ele precisa diariamente. E lembre de seguir as orientações do seu médico para ter certeza que está recebendo a quantidade adequada de nutrientes, tanto pela alimentação, quanto pelas vitaminas.
  • Proteja-se contra contaminação alimentar por toxoplasmose e listeria. Lave muito bem frutas e vegetais antes de comer. Não coma nenhum tipo de carne (ou peixe) crua ou malpassada. Sempre cuide da higiene na manipulação dos alimentos, tanto no seu preparo quanto na estocagem dos mesmos.
  • Não coma peixes com quantidade excessiva de mercúrio, como peixe-espada, cavala- verdadeira, cação (peixes grandes de mar).
  • Cuide do ganho de peso, procure não passar do ganho de 12kg na gravidez, mas seu médico fará a supervisão e é importante que você siga as orientações.
  • Não fume, não beba nada alcoólico e não use drogas. Essas substâncias pode causar problemas para o resto da vida do bebê ou até matá-lo. Peça ajuda a seu médico para parar.
  • Se seu médico não proibir, mantenha um ritmo de atividade física aeróbica de intensidade moderada, de pelo menos 2h30min por semana (é melhor espalhar o tempo de treino ao longo da semana). Se você já treinava antes da gravidez, mantenha seu ritmo enquanto seu nível de saúde não mudar e converse com seu médico para ele continuar a te orientar.
  • Não tome banhos muito quentes e não frequente saunas.
  • Se informe, leia livros, veja vídeos, assista às aulas de parto, e converse com as mães que você conhece.
  • Fique longe também de inseticidas, solventes, chumbo, mercúrio e tintas. Nem todos os produtos descrevem o potencial risco nas suas etiquetas. Converse com seu médico se você estiver preocupada com alguma substância química do seu trabalho.

Mesmo quem não quer engravidar agora já deveria tomar ácido fólico?


Sim! Os defeitos congênitos do cérebro e medula vertebral acontecem em estágios muito precoces da gravidez, frequentemente antes da mulher saber que está grávida, e quando ela descobre que está grávida, já é tarde para prevenir tais defeitos. Além disso, metade das gestações nos Estados Unidos não são planejadas. Por essas razões, todas as mulheres que podem ficar grávidas deveriam tomar de 400 a 800mcg de ácido fólico diariamente.

A frequência das consultas


O médico orientará as datas de consulta, mas no geral elas seguem os intervalos:

De 4 a 28 semanas de gestação, visitas mensais.

De 28 a 36 semanas, duas visitas por mês.

A partir de 36 semanas até o nascimento, visitas semanais.

Como são as consultas


Na primeira consulta, o profissional vai coletar todas as informações relevantes sobre sua saúde, como doenças prévias, cirurgias já realizadas, como foram as gestações anteriores, histórico de doenças na família, etc. Será realizado um exame físico completo e será solicitado o exame de Papanicolaou, o exame que detecta câncer de colo de útero. Também serão solicitados exames de sangue e urina, e exame de ultrassonografia (transvaginal ou pélvico, a depender da avaliação clínica). O profissional vai calcular a data provável do parto e responder suas dúvidas.

Tire todas as suas dúvidas, discuta as questões relacionadas à sua saúde, descubra tudo o que for possível para se manter saudável durante sua gestação.

As próximas consultas tendem a durar menos tempo. O profissional vai checar sua saúde e se o bebê está crescendo conforme o esperado. No acompanhamento, será aferida a sua pressão arterial, o seu peso, seu abdome será medido com uma fita métrica para checar se o bebê está crescendo bem e o batimento cardíaco do bebê será checado a partir da 12ª semana de gestação (porém nem todos os serviços de saúde contam com equipamento adequado para checar os batimentos cardíacos fetais nesta época, muitas vezes começando essa rotina a partir da 20ª semana).

Enquanto você estiver grávida, você vai fazer diversos exames. Alguns exames são solicitados para todas as gestantes (para checar anemia, tipo de sangue, sorologia de HIV, entre outros), e outros vão depender da sua história clínica, como idade, problemas de saúde prévios, e também dos resultados dos exames.

O texto foi tirado e adaptado do site: https://www.womenshealth.gov/a-z-topics/prenatal- care Como a referência é internacional, nem tudo se encaixa à realidade brasileira, sendo por vezes necessária tal adaptação.

Como saber quando o bebê vai nascer?


Logo que uma mulher descobre que está grávida, uma dúvida que logo surge é: quando irá nascer? E a resposta vem em seguida: Claro que daqui a 9 meses! Mas quando exatamente?

Quando você comparecer à sua primeira consulta de pré-natal, o médico irá perguntar qual foi a data da sua última menstruação, ou seja, qual foi o primeiro dia do último ciclo. É muito importante que esta data esteja correta, para que os cálculos se aproximem o máximo possível do real.

Com esta data, é possível calcular a Data Provável do Parto (DPP), e também de quantas semanas de gestação você está (de quanto tempo você está grávida). O cálculo é muito simples!

Pegue o primeiro dia do seu último ciclo, subtraia 3 meses, e some 7 dias.

Por exemplo: Considerando uma mulher que teve a última menstruação em 17/01/2020, qual a DPP?

Subtraindo 3 meses de janeiro (volte 3 meses para trás no calendário), você chegará ao mês de Outubro.

Somando 7 dias ao dia 17, temos o dia 24.

Portanto, a DPP desta suposta grávida é 24/10/2020.

Assim está feito o cálculo da Data Prevista do Parto. Ou seja, atenção! A Data é PREVISTA. Este é um cálculo que não determina, mas estima o dia que o bebê irá nascer.

Se a mulher está realmente certa da data da última menstruação, este cálculo é muito útil. Ao realizar o primeiro ultrassom, que é o exame que o médico usará para confirmar a DPP, ele terá a confirmação desta data.

Este cálculo considera que a mulher tenha um ciclo de 28 dias, e também não considera os meses com menos de 31 dias, por isso ele não é perfeito.

Mas por que a gravidez é contada a partir do último dia de menstruação?


Porque é mais fácil para calcular o tempo de gestação. Como a maioria das mulheres não sabe seu dia de ovulação, o médico começa a contar a partir do seu último dia de menstruação, que acontece cerca de 2 semanas antes da ovulação. Mesmo que você saiba o dia da relação sexual que provocou a gestação, não necessariamente foi o dia da concepção (quando o espermatozóide se liga ao óvulo), pois o espermatozóide pode durar até 5 dias no corpo da mulher, esperando pela liberação do óvulo que ele irá fertilizar.

Como saber de quanto tempo a mulher está grávida?


Saber a data da última menstruação também permite ao médico calcular de quantas semanas de gravidez a mulher está, e todo o pré-natal será baseado nas semanas de gestação. Os exames que são pedidos para a grávida de 8 semanas não são os mesmos que são pedidos para aquela com 26 semanas de gestação, por exemplo. As alterações no corpo da mulher são diferentes a cada fase da gravidez. Em cada período também há predisposição para surgimento de doenças no bebê e na mãe, e elas devem ser investigadas (por isso o médico pede tantos exames durante o pré-natal).

Durante todo o curso do pré-natal, cada informação conta e todo detalhe é importante. Surgirão alterações no corpo, mente, comportamento, humor e em toda a vida da mulher. O marido (ou pai do bebê) também pode perceber mudanças na sua estrutura de vida devido a todas as novidades que vão surgir. Assim, é de suma importância a atenção para os detalhes e, sempre que possível, o pai do bebê acompanhar a gestante às consultas, para que as dúvidas sejam sanadas e tudo acontecer da forma mais saudável possível.

Por que contar em semanas e não em meses?


Uma gravidez completa dura cerca de 40 semanas ou 280 dias, que serão contados a partir da data da última menstruação. Esse tempo é dividido em 3 trimestres, 10 meses lunares, ou 40 semanas. A gestação não dura exatamente 9 meses, e a quantidade de dias de cada mês varia. Assim, é mais preciso falar em semanas do que em meses. Uma gravidez de termo (quando o bebê é considerado maduro para nascer) dura de 37 a 40 semanas.

Referências Bibliográficas


babycenter.com
Expecting 411. 4th Edition, Pg. 9-12.


Por Beatriz Corbari


© Ciclo Maternal 2020 - Todos os direitos reservados